Segunda, 28 de setembro de 2020
66 9 9962 4999
Brasil

05/08/2020 às 06h58

41

Jediel Ribeiro Lemes

TERRA DO NOVA DO NORTE / MT

Mineração
Mineração é uma palavra que deriva do latim medieval - mineralis - relativo a mina e a minerais.
Mineração

Mineração é uma palavra que deriva do latim medieval - mineralis - relativo a mina e a minerais. Da ação de cavar minas criou-se o verbo "minar" no séc. XVI e, em conseqüência da prática de se escavar fossos em torno das fortalezas, durante as batalhas, com a finalidade de fazê-las ruir, adotou-se a palavra "mina" para designar explosivos militares. A associação das duas atividades deu origem ao termo mineração, visto que a escavação das minas se faz freqüentemente com o auxílio de explosivos. De um modo genérico, pode-se definir mineração como a extração de minerais existentes nas rochas e/ou no solo. Trata-se de uma atividade de natureza fundamentalmente econômica que também é referida, num sentido lato, como indústria extrativa mineral ou indústria de produtos minerais. Segundo a classificação internacional adotada pela ONU, define-se mineração como sendo a extração, elaboração e beneficiamento de minerais que se encontram em estado natural: sólido, como o carvão e outros; líquido, como o petróleo bruto; e gasoso, como o gás natural. Nesta acepção mais abrangente, inclui a exploração das minas subterrâneas e de superfície (ditas a céu aberto), as pedreiras e os poços, incluindo-se aí todas as atividades complementares para preparar e beneficiar minérios em geral, na condição de torná-los comercializáveis, sem provocar alteração, em caráter irreversível, na sua condição primária. Desde épocas bem remotas o homem vem exercendo atividades de mineração, retirando de locais apropriados a argila, para os artefatos de cerâmica, as rochas duras para a preparação de armas e objetos de corte, bem como ocres minerais para a confecção de pigmentos para utilização sobretudo em pinturas e inscrições rupestres.  A partir da Idade do Bronze (cobre + estanho) desenvolveu-se lentamente a pesquisa, a mineração e o beneficiamento dos minérios para a metalurgia. Há milhares de anos teve início a realização de operações de lavra subterrânea para extração de minerais metálicos. Na Antigüidade, os minerais serviam apenas para a fabricação de ferramentas, armas e utensílios, bem como para a realização de obras arquitetônicas, como aquedutos, edificações, etc. O conhecimento e a capacidade de trabalhar os metais permitem distinguir o grau de civilização e o progresso alcançado por um povo antigo (chineses, babilônios, egípcios, gregos, etc.).  Em 3000 a.C., o Egito tornou-se a mais importante civilização do mundo, ao mesmo tempo em que passou a dominar a mineração de cobre em Meghara, na península do Sinai. Durante dois séculos e meio, os Fenícios mantiveram segredo sobre a descoberta de minas de estanho em seu território. A exploração dessas minas, seguida de seu monopólio comercial, constituiu fator decisivo para manter a supremacia de Cartago e lhe propiciou, em parte, o controle do comércio no reduzido mundo de então. Finalmente, o Império Romano só dominou o mundo depois de conquistar os amplos recursos minerais da Espanha. Mesmo na idade contemporânea, a história está repleta de exemplos desse tipo, pois a exploração e o tratamento de minerais, além de servir de base ao progresso industrial e ao comércio, em função das tecnologias avançadas, é uma das bases do poder econômico, militar e político. O filósofo grego Aristóteles (384 - 322 aC) apresentou os primeiros escritos na tentativa de classificar os corpos inorgânicos. Seu discípulo Teofrasto (371 - 286 aC) dedicou um tratado especial ao assunto, no qual descreveu 16 espécies minerais, principalmente pedras preciosas. Posteriormente, o naturalista romano Plínio "o Velho", morto em 79 durante a erupção do Vesúvio, escreveu 4 tratados onde reuniu todo o conhecimento sobre minerais daquela época.  Na alta Idade Média se registrou uma evidente ascensão no desenvolvimento científico nos países árabes, que haviam assimilado a cultura das antigas Grécia,  Índia e dos povos da Ásia Central. Nesse período, destacou-se  o grande naturalista, matemático e astrônomo Biruni (972 - 1048), natural de Corasmia (Usbequistão). Em sua obra, dedicada às pedras preciosas, apresenta uma descrição dos minerais realmente notável para sua época, e na definição das espécies minerais emprega, pela primeira vez na história, constantes físicas, como dureza relativa e peso específico. Enquanto isso, na Europa, os poucos trabalhos dessa época descreviam apenas as "propriedade mágicas das pedras". Foi só a partir do século XVI que apareceram na literatura européia uma série de importantes trabalhos sobre mineração. O italiano Biringuccio (? - 1538) e principalmente  Georgius Agricola, (1490 - 1555), médico da Boêmia, são as melhores fontes de informação sobre antigas técnicas de mineração, algumas das quais ainda são utilizadas até hoje. Essas técnicas incluem instrumentos como picaretas e marretas, sistemas de bombeamento e ventilação, além de carros de mão. Vale destacar que foi Agricola que descreveu detalhadamente algumas das características dos minerais (cor, transparência, brilho, gosto, odor, peso, dureza, etc.) O uso da pólvora fez progredir a técnica da mineração, e mais ainda a dinamite, em meados do século XIX, aperfeiçoada com suplementos produzidos no século XX. A evolução das técnicas de perfuração também ampliou a capacidade da atividade de mineração. Acredita-se que a primeira sonda rotativa tenha sido utilizada na Inglaterra, em 1813, e versões aprimoradas apareceram ao longo do século XIX. A mineração, especialmente do carvão, foi o eixo central para o progresso da tecnologia industrial. A aplicação das bombas e máquinas a vapor, num ramo de vital importância, crescente até meados do século XVIII, foi o primeiro passo para a siderurgia, com a substituição da lenha pelo carvão mineral. No caso da máquina a vapor, a mineração lhe forneceu os elementos essenciais - ferro e carvão - e dela recebeu mais tarde, contribuições indiretas sob a forma de mecanismos de extração, equipamentos , transportes, sistemas de ventilação, etc. O aumento da eficiência do esforço humano, dando margem à acumulação do capital, facultou a elevação da capacidade aquisitiva e a ampliação dos mercados. A disponibilidade de energia barata permitiu a produção em grande escala e os transportes em massa, com todos os benefícios daí resultantes, entre os quais o aumento da mobilidade.  Os minerais têm constituído um desafio para o homem em sua busca. A sedução exercida pelo ouro, a prata e os diamantes, determinou movimentos migratórios. No mundo ocidental, as minas de carvão da Inglaterra, da Alemanha e de outros países, representaram as bases nas quais foram montadas as primeiras estruturas industriais modernas, seguindo-se os EUA, com o petróleo e o aço. Bens de capital, sob a forma de maquinaria, material ferroviário, etc., eram transferidos para as regiões em que houvesse minerais em abundância. E, fora da Europa e da América, nos continentes mais distantes onde fossem descobertos jazimentos economicamente rentáveis, de cobre, de estanho, de petróleo, ali se aplicavam grandes investimentos para a exploração dessas riquezas. Modernamente, a mineração é uma atividade cara e complexa. Tem início com a localização de jazidas minerais, o que se faz por mero acaso ou cientificamente, através de estudos geológicos regionais, seguidos por mapeamento geológico de detalhe da área selecionada. Uma vez confirmada a existência de jazimento mineral, passa-se a realizar a pesquisa mineral. Nesta fase faz-se uso de vários trabalhos técnicas, quais sejam: sondagens, poços de pesquisa, trincheiras, etc., bem como a eventual aplicação de métodos de prospecção geofísicos e/ou geoquímicos. Todo esse trabalho visa confirmar, com um nível razoável de segurança, a existência do jazimento, seu condicionamento geológico (extensão, comportamento estrutural, teores do minério, etc.) e, sobretudo, calcular as reservas do minério em foco e sua economicidade. Só depois de qualificado e quantificado o minério e determinada a sua exeqüibilidade econômica, é que se deve dar início a atividade de mineração propriamente dita: extração e beneficiamento do minério.

FONTE: Enciclopédias Barsa e Mirador Internacional

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Esporte local

Esporte local

Blog/coluna Tudo sobre o esporte local em um só lugar!
Facebook
© Copyright 2020 :: Todos os direitos reservados